Dois bronzes sem tirar.

Mal deu tempo de estourar o champanhe! O Brasil é bronze de novo em Beijing.

A conquista foi de Leandro Guilheiro, na categoria peso leve, derrotando o iraniano Ali Malomat por ippon em apenas 23 segundos. É o segundo bronze olímpico de Guilheiro, resultado que o coloca, sem sombra de dúvida, como o maior atleta brasileiro da história olímpica.

O judoca optou por perder para um campeão mundial, disfarçando o que todos sabemos: foi de propósito.

Na repescagem, quando a coisa era pra valer mesmo, Guilheiro não deu chance aos adversários, derrotando um a um com ippons e waza-aris diversos. Agora é abraçar a bandeira, beijar o técnico e subir o degrau único do terceiro lugar.

Lugar duplo, aliás, já que o Judô distribui dois bronzes por categoria. A outra ficou para um atleta do Tadjiquistão, que tinha um técnico igual ao felipão.

Anúncios

Tags: , , , ,

2 Respostas to “Dois bronzes sem tirar.”

  1. Comentarista Says:

    FALTAM SÓ 8.
    VAI DAR! VAI DAR! VAI DAR!

  2. medalhista Says:

    Pra cima deles!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: